Casa da Tuka
 

19 de fev de 2009

Seguindo para casa

Um rato de laboratório acostuma em seu labirinto e, seguindo sempre pelo mesmo caminho, consegue chegar onde deseja. Eu sou exatamente assim. Quando se trata de dirigir em São Paulo e chegar sã e salva aos lugares aos quais preciso - que são basicamente meu trabalho e minha casa – eu sigo segura por ruas e avenidas que conheço. No máximo me arrisco fazendo uma curva aqui e outra acolá, mas a essência do trajeto é a mesma.

Se alguém me ensina um caminho novo, fico feliz, mas até que eu me acostume totalmente a ele, sigo cautelosa. Ontem eu achei que já dominava o caminho que aprendi recentemente com um colega do trabalho. E quando pensei ter avistado minha saída me embrenhei numa subida. Imediatamente me dei conta que fizera cagada, mas já era tarde demais. No trânsito de São Paulo nada é simples e se você errou uma saída, SE FODEU. Quase nunca se pode simplesmente dar uma volta na quadra e chegar onde se estava antes. Nesta cidade existem pontes, vielas, terceiras dimensões e tudo isso faz com que você vá parar em qualquer lugar imaginável, menos onde deseja. Mais fácil chegar na Terra do Nunca, pode acreditar.

Mas voltando: peguei a saída errada e fui parar no meio do nada. Rima, mas não é poesia. Ontem, o caminho que eu deveria ter feito em apenas 40 minutos me rendeu duas horas de ódio, de San gritando comigo pelo celular, de medo de acabar me enfiando em uma biboca e ser estuprada, assaltada, esquartejada viva e ateada fogo.

O pior de tudo isso foi que depois de tentar usar o marido como guia à distância e de ter entrado em milhões de ruas erradas, eu tive uma idéia “brilhante”! Pedi informações para policiais numa viatura e percebi da pior maneira possível que NUNCA se deve pedir informações para policiais. “Moços, como é que eu chego na Paulista, peloamordeDeus?”. O homem do banco do passageiro disse para eu segui-lo que me guiariam até lá. Eu fui. Em um dado momento a viatura pára e dá sinal pra eu encostar. Um deles diz: “Moça entra aqui nesta rua que a gente vai te explicar como é que você chega lá.”. Eu olho pra rua: uma vielinha escura no meio do nada. Olho para os policiais: Cinco brutamontes com cara de malvados. Penso: “Eu não quero chegar ao inferno, quero ir pra Paulistaaaaaaaaa” – mas respondo: “Ah não vou entrar na ruazinha não, me expliquem daí mesmo, poxa” - e faço cara de choro. Eles se olharam e resmungando disseram: “A gente te leva até a Rua do Paraíso e de lá é fácil você chegar". E assim foi.

Cheguei em casa sã, salva e xexelenta, mas zero policiais me espancaram, zero policiais me estupraram, zero policiais plantaram drólgas em meu carro, zero bandidos me assaltaram e zero assassinos me atearam fogo e me esquartejaram (ou o contrário).

Quando cheguei em casa a primeira coisa que fiz foi comprar um GPS (Gataam Pode Seguir). Chega amanhã e até lá tentarei não me perder, prometo.

Postado por Tuka *
Comments:
TUKAMMMMMMMM que medo....
 
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...
e o carnaval??? sambando muitooo?
 
Por essas e outras, nem me arrisco dirigir aí...
Enfrento metrô, busão, o que for...
Essa do policial, fiquei beje...
 
Caramba, S.P é mesm assim absurdo !
Ainda bem que chegou inteira !
GPS é tudo nessas horas ...
 
eu taqva falando disso hoje com uma colegaaaaam
se passar uma saida.. virar na rua errada.. fudeu.. 2 horas pra conseguir uma porra de retorno.. normalmente tenho bom senso direcional.. mas já me perdi inúmeras vezes.. meus grandes aliados são os postos de gasolinas.. pergunto pros clientes.. pros frentistas.. normalmente alguém sabe.. ou finje que sabe.. GPS é legal.. mas eles tem um monte de infos duvidosas.. uma conterranea carioca se fudeu vindo aqui em casa pelo querido GPS hehehehehehe
Lindona, tem meme com selinho lá no blog para vc!
Kisses
 
Ahahahahahahahahaha!
Que outro mundo é esse?
Deusulivri!!!
Ainda bem que moro em Itu, tudo é grande, é difícil de se perder, com o tamanho das pRacas!
Adorei o blog!
Beijos
 
hahahahah, tem q rir pra não chorar, amo a capital, mas nao conseguiria morar aí nunca.. meu stress jah eh um nivel super alto aqui, imagina morando ai.. hahahha... agora sim Tuka... com GPS, tudo certin... bjaoo.. Deus abençõe
 
hahahahah, tem q rir pra não chorar, amo a capital, mas nao conseguiria morar aí nunca.. meu stress jah eh um nivel super alto aqui, imagina morando ai.. hahahha... agora sim Tuka... com GPS, tudo certin... bjaoo.. Deus abençõe
 
Postar um comentário



<< Home

Leia antes de usar
Desde 15 de janeiro de 2002 uma jornalista nonsense escreve desembestada no blog que chama carinhosamente de sua Casa.

Aqui têm besteiras demais, coisas inúteis demais, enfim, tudo o que nem precisava ser dito, muito menos escrito.

Obviamente, qualquer semelhança com a realidade é única e exclusivamente uma opção da autora.

Assim como o direito de escrever
o que bem entender, claro!


Uma campanha Casa da Tuka contra o plágio
Divulgue em seu Blog:




O Avesso dos ponteiros

Livro de cabeceira
Aparentemente é Isso Mesmo
Uma Brasileira
Heart's Place
Blog by Dani
A prateleira
Desiderata
Blônicas
Observados

Casa no Orkut


My Unkymood Punkymood (Unkymoods)



Procure aqui

powered by FreeFind


Ouvidos




website hit counter

tracker

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape

Get your own free Blogoversary button!
. . .

Design By:
Lin Diniz
Powered By:
Fernando Boniotti